Amigos

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Brasileiros na 29ª Bienal: Tatiana Blass


Obra de Tatiana Blass

Tatiana começou a expor em 1998 e desde lá já participou de mais de 30 coletivas e 8 individuais. A formaçãode Tatiana se deu dentro e fora da universidade. A artista cursou Artes Plásticas na UNESP, mas fez cursos práticos desde criança. “Mais importante do que a faculdade, foi a minha formação fora dela”, diz.
Entre os cursos que Tatiana fez estão os com Rodrigo Naves, Alberto Tassinari, Edith Derdik, José Resende e acompanhamento com Paulo Monteiro.
Tatiana começou com uma produção focada em desenho, que foi ficando cada vez mais pictórica com o uso de nanquim sobre vidro e, após, passou a desenhar com bastão de óleo – “o que foi um passo para a pintura”, comenta. A paisagem aparece em pinturas e colagens de Tatiana. “A idéia da paisagem surgiu pela configuração quase sempre horizontal do suporte e pelo modo de tensionar as formas com uma profundidade que acontece na superfície, mas sem ser ilusionista. Ela está mais em achar um propósito
para estruturar os diversos elementos na superfície. É quase uma desculpa para começar um trabalho”,explica. Texto extraído do site: Bolsa Iberê Camargo

Para a bienal a artista apresenta 'Metade da Fala no Chão – Piano Surdo'
Com um derramamento de cera líquida sobre as cordas de um piano de cauda, a paulista Tatiana Blass cala as notas musicais. A peça faz parte de uma série da artista que está em andamento, feita por meio de intervenções em instrumentos musicais.


Tatiana Blass cala as notas musicais na Bienal

Nenhum comentário:

Postar um comentário